Geração Z cadê você? Eu vim aqui só pra te ver!

É isto mesmo! Se você ainda estava confuso tentando entender os Jovens da Geração Y ou Millennials, pode começar a pesquisar sobre a Geração Z. Relembrando, Geração é uma expressão que se refere ao grupo de pessoas nascidas em um determinado período – impactadas por fatos e acontecimentos nos âmbitos: social, econômico e tecnológico – capazes de desafiar status quo e definir novos padrões de comportamento.

Baby Boomers - pessoas entre 50 e 68 anos nascidos no pós-guerra,

Geração X - pessoas entre 38 e 49 anos e que tiveram como influencia o movimento hippies e a revolução sexual,

Geração Y ou Millennials - pessoas entre 24 e 37 anos, que tiveram como marco de sua geração a revolução tecnológica,

Geração Z – nascidos na era digital entre 1995 e 2010

Porque estudar as Gerações? As características que definem uma Geração têm sido amplamente discutidas desde a década de 60, mas se tornou um tema de relevância em 1997 após a publicações do artigo War for Talents de Steven Hankin da Mckinsey & Co. Estes estudos tinham como principal objetivo entender as diferenças geracionais e seu impacto no consumo e nas relações com trabalho, antecipando tendências, riscos e oportunidades para produtos, serviços e negócios. Basta dar um “Google” para se ter acesso a uma vasta gama de materiais com definições e características das Gerações Baby Boomer, X e Y, porem faltam ainda informações e estudos mais profundos sobre como Geração Z, e de sua influencia na sociedade e na economia. As informações sobre a Geração Z que compartilho aqui, têm como base a pesquisa realizada pela Box1824 - apresentada no dia 21 de setembro de 2017 em São Paulo, durante o Fórum Mckinsey - “Os Millennials envelheceram. A nova Geração Z revolucionará o consumo”; e de algumas observações sobre o comportamento destes jovens em situações cotidianas. Uma Grande mudança “Nunca houve uma distância tão significativa entre gerações, quanto a diferença no jeito de pensar e agir da Geração Z com relação a todas as outras gerações (Baby Boomer, X e Y), mesmo entre os Y e Z - gerações temporalmente mais próximas - as diferenças são brutais! O que nos faz chegar a esta conclusão? O impacto da velocidade dos avanços tecnológicos nas últimas décadas.

Este fator, foi o responsável por potencializar o gap entre as gerações de maneira nunca vista antes. ”Será mesmo? Afinal, qual é a GRANDE diferença entre estas gerações? Embora as pessoas de todas as Gerações tenham sido impactadas pelos avanços tecnológicos, a diferença fundamental segundo os pesquisadores, é que, os Baby Boomers, Xs e Ys fazem parte do grupo denominado ADAPTADOS DIGITAIS, ou seja, pessoas que tem acesso e aprenderam a usar as novas tecnologias, MAS nasceram e foram criados a partir de um modelo mental analógico, linear e sob o paradigma da escassez. Os jovens da Geração Z ou NATIVOS DIGITAIS, por sua vez, nasceram na era digital, sob a influência de um novo modelo mental: o da abundância de recursos e de possibilidades ilimitadas, onde toda a mudança ocorre de forma exponencial através da criação de soluções melhores, mais rápidas e mais baratas. É com este novo “chip mental” que a Geração Z tem provocado uma mudança como nunca vista antes nos padrões de comportamento, hábitos de consumo, modelos de negócios, e na relação com o trabalho. O que a Geração Z quer? Esta geração tem como seus principais direcionadores:

- Ética, esperam transparência em todas as relações e são implacáveis quanto a coerência entre discurso e pratica;

- Singularidade, buscam a hiper personalização como forma de respeito as diferenças, e esperam que todas as suas experiencias com plataformas, canais, produtos e serviços, sejam customizadas e aconteçam em Tempo Real;

- Acesso, ressignificam o consumo e são os propulsores da Gig Economy. Usufruir é melhor do que possuir! “Toda propriedade material pode se tornar um serviço e consequentemente em um negócio”. Possuir bens gera oportunidades de criar novas fontes de renda.

Conhecendo a vida cotidiana de um Gen Z

1) Múltiplas Realidades

Entre as Gerações X e Baby Boomer já foi possível observar uma mudança significativa com relação ao aumento da produtividade - realização de um maior número de atividades durante o mesmo período de tempo através da implementação e uso de novas tecnologias, sistemas e ferramentas. Com a aquisição de novas tecnologias e dispositivos portáteis, como computadores pessoais e celulares, a Geração X desenvolveu uma nova competência em relação a geração anterior, ser multitarefas. Para a Geração Z, não existe uma divisão entre vida profissional e pessoal. Esta geração, mais do que multitarefas, é capaz de vivenciar múltiplas realidades simultaneamente. O uso da tecnologia proporciona condições para estes jovens realizarem várias atividades de natureza totalmente distintas, em locais diferentes, simultaneamente.

Quem já não presenciou a seguinte cena: um jovem no trabalho respondendo um e-mail e resolvendo algum outro assunto que precisa a ser entregue com outra pessoa por Skype, ao mesmo tempo em que troca mensagens através de uma rede social com um amigo que está de férias na Califórnia e WhatsApp com outro colega que está na faculdade solicitando sua ajuda com dúvidas sobre o tema da aula que está assistindo? Seja de forma virtual ou presencial estes jovens conseguem estar em mais de um lugar ao mesmo tempo.

2) Controle Total

Quem nunca se sentiu frustrado quando algo saiu fora de seu controle? Provavelmente todas as pessoas da Geração X já vivenciaram uma situação de imprevisto, em que precisaram improvisar ou replanejar algo para garantir que o resultado esperado fosse alcançado. Imprevistos acontecem, em grande parte das vezes, por falta de informação e para evitar situações como estas as pessoas da Geração X se acostumaram a criar cenários e planos de contingências para os casos de “e se..? ”Quando comecei a dirigir e eu tinha um compromisso em um local desconhecido, por exemplo, parte da tarefa para “chegar ao local” consistia em: estudar o Guia de São Paulo para evitar de se perder no caminho; e planejar o tempo de deslocamento considerando sempre uma “folga” considerável, no caso de encontrar um engarrafamento durante o trajeto. Mesmo assim... era grande a chance de chegar me atrasar para o compromisso. A Geração Z não precisa criar cenários ou planos de contingência, porque tem à sua disposição todas as informações do mundo! Sim, hoje é possível controlar (praticamente) tudo a partir de algum tipo de aplicativo. Uma situação similar de locomoção urbana se resume a digitar o endereço do local no Waze e seguir os comandos do aplicativo, sem risco de atraso seja em São Paulo ou em qualquer lugar do mundo. O aplicativo é capaz de oferecer diferentes opções de caminhos, fazer ajustes automáticos de rotas, avisar sobre acidentes, evitar multas avisando a localização de radares, e sugerir o melhor horário para iniciar o percurso e garantir que se chegue sempre no horário combinado.

3) Relação com Trabalho & Dinheiro

Como é a relação dos jovens da Geração Z com trabalho e dinheiro? Pois bem, o primeiro equivoco nesta pergunta é que, trabalho e dinheiro não tem uma relação de dependência direta para estes jovens como tinha para as gerações anteriores. A pouco mais de 1 mês, eu estava almoçando com alguns jovens (estagiários) em uma Startup e fiquei curiosa com a história de um deles. Um rapaz que veio do interior morar em São Paulo, para estudar economia na FGV, e que estava morando em um apartamento emprestado próximo à Avenida Paulista. Perguntei como ele se mantinha em São Paulo, se contava com ajuda dos pais para os gastos com os estudos e com infraestrutura, e como era viver em uma cidade com um custo de vida tão elevado. Fiquei muito surpresa quando ele me respondeu: “Paula, eu me mantenho sozinho em São Paulo. Pago minha faculdade e meus gastos com exceção do “ap” que é emprestado. Não tenho grandes problemas para me manter aqui porque tenho várias fontes de renda além da minha bolsa de estagiário. ”Imediatamente pedi que ele me contasse o que ele fazia exatamente e quais eram estas fontes de renda. Este rapaz:1) aluga seu apartamento diariamente no AirBnB - hospedagens rápidas para pessoas que querem apenas pernoitar em SP, e durante o dia para locações de fotos - afinal o apartamento fica vazio o dia inteiro; 2) aos finais de semana disponibiliza lugares do seu carro através de um aplicativo - Bla Bla Car - para pessoas que querem ir para o interior, e que preferem pagar por uma carona ao invés de comprar uma passagem de ônibus - segundo ele a companhia de outros jovens durante a viagem é mais divertida; 3) tem como mais uma fonte de renda o que recebe em pagamento por levar os cachorros dos vizinhos para passear – pois ele adora cachorros, mas não tem condições de ter um no seu apartamento; 4) e para finalizar faz seu estágio remunerado de 6 horas em uma Startup

Conclusão, sua renda mensal está próxima de um salário de um analista sênior. Se já era grande o desafio das empresas em atrair e reter jovens talentos, você conseguiria imaginar um rapaz como este interessado em trabalhar em uma empresa tradicional, em um único local, fazendo uma só função e recebendo um salario de analista júnior após terminar a faculdade? Há muito para se aprender com a Geração Z sobre esta nova visão de Mundoaprender om a Geração Z sobre esta nova visão de Mundo, certeza que estes aprendizados poderão nos ajudar a construir um Futuro, mais sustentável, colaborativo e ético!

#video